A Movelaria Paranista recebeu, no 4.º Prêmio Ozires Silva de Empreendedorismo Sustentável, o reconhecimento de Projeto Destaque - categoria indústria. A divulgação dos vencedores ocorreu na noite do dia 08 de fevereiro, em Curitiba. O prêmio é promovido pela Isae/FGV em parceria com a GRPCom e o Sebrae-PR, o prêmio destaca as melhoras iniciativas das empresas em seis categorias: Indústria; Comércio e Turismo; Agronegócio; Cívico-Público; Cultura; Transporte e Logística.

A MP concorreu com o Projeto Design Seguro, desenvolvido em parceria com o SENAI, e com o Sistema Paranista de embalagens. Entre os produtos do Projeto Design Seguro se destaca a cadeira Camaleão, com mais de 6mil opções de configuração, adequando-se ao ambiente de cada cliente. Esta cadeira se destina ao uso profissional em hotéis, restaurantes, bares e empresas de eventos. O Sistema Paranista de embalagem, com nossos modelos de cadeiras empilháveis, proporciona redução de até 57,2% na emissão de CO2 durante o transporte.

Entre as empresas concorrentes deste ano no Prêmio Ozires Silva de Empreendedorismo Sustentável, nas diversas categorias, estavam: Renault, HSBC, ALL, Sanepar, Fundação Cultural de Curitiba, Cooperativa Agrária Agroindustrial, Caixa Econômica Federal, Apetit, Instituto Bom Aluno, Projeto Terra, AustenBio, Forplas, Madeplast e  Agência de Desenvolvimento Econômico Local – Adel.

Como símbolo do empreendedorismo no Brasil o nome de Ozires Silva, de 81 anos foi escolhido para o prêmio, e estava presente no evento. Ele participou do grupo que criou a Embraer, em 1970. Foi o primeiro presidente desta empresa, e presidiu também a Petrobras. Foi ministro de Infraestrutura e é autor de vários livros.

 

“O objetivo não é apenas premiar as iniciativas inovadoras, para que esses projetos se tornem mais conhecidos, mas também fazer com que o prêmio inspire outras empresas a atuar na mesma linha”, afirma superintendente do Isae/FGV, Norman Arruda Filho.


PROJETO DESIGN SEGURO


Brasil atrapalha empreendedores

Em vez de incentivar, o governo brasileiro cria “problemas” para quem quer empreender no país. A afirmação é de Ozires Silva, fundador da Embraer e ex-ministro de Infraestrutura do governo Collor, durante visita a Curitiba, ontem, para a entrega do prêmio que leva seu nome – destinado a iniciativas que se preocupam com o meio ambiente e questões sociais.

Ele criticou a falta de investimentos em empreendedorismo no Brasil e disse que novas ideias deveriam ser alvo de maiores financiamentos pelo governo e pela iniciativa privada. Silva também afirmou que o país penaliza os empreendedores. “Certos países mantêm um fundo de risco para empreendedores. Quando a ideia não dá certo, por motivos que não sejam de sua responsabilidade, há uma legislação voltada para proteger o empreendedor, e não fazer com que pague uma conta muito alta [como no Brasil]”, diz.

A carga tributária também é alvo de críticas. “No mundo inteiro tem impostos, mas aqui há um exagero. Então, tudo cria problemas para quem quer produzir”, lamenta. Além da falta de financiamentos e da carga tributária, o ex-ministro lembra que a educação continua a ser um empecilho para o empreendedorismo. “Lembro de quando morava nos Estados Unidos e meus filhos tiveram que simular, como dever de casa, o modo de produção numa fábrica de papel de balas. Ou seja, crianças de dez anos tendo aulas de empreendedorismo”, relata.

Vantagens

A primeira vantagem de se investir no empreendedorismo seria a queda do nível de desemprego. Para Silva, novas ideias absorveriam uma boa fração da mão de obra disponível. Além disso, o país teria um giro na economia muito maior. “O mundo todo está atento ao empreendedorismo, que é algo valioso. Não podemos ficar para trás, porque o brasileiro tem muito potencial”.

Biografia

Ozires Silva, de 81 anos, participou do grupo que criou a fabricante de aviões estatal Embraer, em 1970. Depois de se tornar o primeiro presidente da empresa e lá permanecer por 17 anos, presidiu também a Petrobras, de 1986 a 1988.

De 1990 a 1991 foi ministro de Infraestrutura do governo Collor – pasta que concentrava os ministérios de Transportes, Minas e Energia e Comunicações, extinto já sob o comando de Itamar Franco. É autor dos livros A Decolagem de um Sonho – A História da Criação da Embraer (Lemos Editorial, preço médio: R$ 40) e Cartas a um Jovem Empreendedor (Campus, R$ 39).

por Fábio Pupo - fonte Jornal A Gazeta do Povo - 09/02/2011